sábado, 6 de junho de 2009

HIPOPÓTAMOS COZIDOS

E OS HIPOPÓTAMOS FORAM COZIDOS EM SEUS TANQUES
Romance
William S. Burroughs e Jack Kerouac

O texto baseia-se em fatos reais ocorrido entre 1944 e escrito pelos pais da geração beat, o romance gira em torno de amizade, poesia, sexo e drogas e muito papo cabeça, e terminando em tragédia passional.

Para quem é fã da Geração Beat como eu, finalmente foi lançado no Brasil, pela editora Companhia das Letras, E os hipopótamos foram cozidos em seus tanques, de William Burroughs e Jack Kerouac, traduzido por Alexandre Barbosa de Souza. O livro, baseado em fatos reais, fala sobre um crime verídico ocorrido em Nova York em 1944, às margens do rio Hudson: o assassinato de David Kammerer pelo adolescente Lucien Carr, ambos amigos de Burroughs¹ e Kerouac². A novela foi escrita em dupla, e é a primeira obra acabada para Kerouac, com 23 anos, quanto para o trintão de Burroughs. Nenhum dos dois pais da prosa beat norte-americana tinha ainda sido publicado. A obra alterna-se em capítulos, sendo que cada escritor conduz um dos dois personagens narradores: o barman junky Will Dennison, nas mãos de “William Lee” (Burroughs), e o marinheiro muito doidão Mike Ryko, animado literalmente pelo pai da geração beat, Kerouac. O estranho título escolhido para o livro faz referência a um incêndio ocorrido no zoologico de Nova York, onde o tanque dos hipopótamos foi atingido e eles literalmente morreram cozidos.

A trama gira em torno de jovens e curiosos, personagens típicos da beat generation, desgarrados, sem dinheiro, e em busca de novas experiências. Vagando de bar em bar, de casa em casa, e fazendo as melhores festinhas em pequenos apartamentos, regadas a álcool, sexo, drogas, papo e muita poesia.

O termo Geração Beat é usado para designar um grupo de escritores norte-americanos que se tornaram conhecidos no final dos anos 50, começo dos anos 60. Esses escritores pregavam uma espécie de "boemia hedonista", tudo bem se você se drogar, beber, fumar e não fazer nada, desde que crie alguma coisa. Os hippies e punks foram influenciados pelos beatniks.

Fica aí uma sugestão de leitura inédita no Brasil da geração beat, E os hipopótamos foram cozidos em seus tanques. Corra e compre o seu, pois eu já peguei o meu! huahaua : )

[...]

¹ William Seward Buroughs, nasceu em 1914, em Saint Louis. Um dos pais da geração beat, junto com Kerouac e o poeta Allen Ginsberg, foi dependente de heroína por muitos anos. Estreou com Junky, mas a sua obra mais importante é Almoço Nú (Naked Lunch), de 1959, que mostra seus delírios sádicos, homossexuais e induzido literalmente pela heroína. Morreu em 1997.

² Jack Kerouac, nasce em 1922 em Lowell, Massachutts. Um dos fundadores da beat generation nos Estados Unidos, é autor do melhor relato sobre estilo de vida: o romance On the Road, de 1957 vivenciado pelo personagem Dean Moriarty, que nada mais é que uma biografia de um dos melhores amigos de Kerouac, Neal Cassady. Outros títulos publicados são: Os Subterraneos, Vagabundos Iluminados, Geração Beat, Tristessa e Livro dos Sonhos. Morreu na Flórida em 1969, de hemorragia provocada pelo alcoolismo.