terça-feira, 15 de setembro de 2009

PORNO, IRVINE WELSH

Ultimamente ando em uma fase meio Irvine Welsh, escritor escocês.
Mas o livro que estou lendo é o Pornô, livro que retoma os personagens de Trainspotting, romance que lhe rendeu o status de grande nome da literatura britânica moderna e virou filme de sucesso internacional. A nova trama se passa dez anos após a história original, com sua célebre galeria de desajustados vivendo os suspiros finais da juventude. Drogas, paranóia, violência e traição continuam figurando entre os ingredientes principais, mas a eles somam-se agora doses cavalares de sexo e vingança, sempre com o humor ácido e surpreendente de Welsh. Como Pornô pode ser perfeitamente apreciado sem a leitura prévia de Trainspotting, não cabe aqui relembrar o final do primeiro livro, pois isso poderia frustrar aqueles que porventura ainda não tenham lido aquele que é um dos romances fundamentais dos anos 90.

BIG SUR, KEROUAC

"O The New York Times intitula
como o livro mais ousado de Kerouac."

Lançado em 1962, Big Sur é o livro mais honesto e pessoal de Jack Kerouac. Após a roda-viva que sucedeu ao lançamento de On the Road, em 1957, o escritor passou um período retirado em uma cabana do amigo e poeta beat Lawrence Ferlinghetti, na região de Big Sur, na costa da Califórnia, onde se dedicou à escrita. O romance mostra a deterioração física, mental e de ideais vivida por Jack Duluoz (alter ego de Kerouac). Outros nomes-chave da geração beat são retratados nesta obra autobiográfica: Neal Cassady (como Cody Pomeray), Carolyn Cassady (Evelyn), Gary Snyder (Jarry Wagner), Philip Whalen (Ben Fagan), Michael McClure (Pat McLear), Lenore Kandel (Romana Swartz), Lawrence Ferlinghetti (Lorenzo Monsanto) e Robert La Vigne (Robert Browning).

Diferentemente do frenesi e do idealismo de On the Road, em Big Sur o que se vê são os efeitos do alcoolismo e da decadência de um mito. Uma visão tão instigante de ler quanto aterrorizante.

Fonte: L&PM